Mês: Abril 2016

O que é uma família?

O que é uma família?

Eu sinto falta de gente feliz, dos cabelos brancos pintados e das crianças brigando pelo o último brigadeiro.

A família é base de tudo. Se não há uma boa e estruturada relação, há frustração, dor e solidão. A internet diz que família  é considerada uma instituição responsável por promover a educação dos filhos e influenciar o comportamento dos mesmos no meio social. Mas se ás vezes não significa nada disso, se torna apenas um grupo de pessoas vivendo sob o mesmo teto?

Primos, tios, agregados.. e se nada disso parecer fazer sentido? E aquelas famílias onde há pai e pai, mãe e mãe, apenas mãe ou apenas pai? Qual é realmente o significado de família?

Em uma era onde todos estão mais preocupados em se mostrarem felizes, do que realmente serem, será que o valor do almoço de domingo ou as saídas com primos, foram enfraquecidos?

É importante pra uma criança se sentir dentro de uma família, de um grupo, de um meio. Mas é essencial, que ela seja aceita nesse meio. O nosso tempo está recheado de pais e mães preenchendo os filhos com presentes, mensagens de texto e esquecendo do amor que deveriam dar, da atenção que supera todas essas coisas.

Se um filho não é valorizado, não é escutado, como se espera que ele faça algo que não o ensinaram?

É aquela minha teoria de que todos os problemas tem uma origem. Se você cria alguém em um ambiente desestruturado, violento, estressante, estará criando um indivíduo com essas características.

Em algumas situações e até vivências próprias, fico triste em ver como as pessoas se distanciaram, esqueceram de valorizar uma coisa que é tão importante; a família.

Reminiscência

Reminiscência

A ilusão do ser humano é achar que tudo é eterno e forte. No entanto, está enganado quem pensa que o pra sempre nunca acaba, porque se até as árvores deixam suas folhas caírem no outono, por que nós não conseguimos entender que ninguém fica em nossas vidas permanentemente?

Você não gosta mais da mesma música de 5 anos atrás, não veste as mesmas roupas, não sonha as mesmas coisas, e tudo isso porque mudança é a palavra chave pra nossa vida. Nem toda dor é eterna, assim como nem toda alegria é perpétua.

Nós prometemos que seríamos para sempre, juramos nosso sangue em prol de um amor que não sabemos se estará vivo amanhã, mas estes somos nós; inconsequentes, imediatistas e apaixonados pelo o agora.

As coisas mudaram, mas talvez não por não terem sido verdadeiras, mas sim por terem sido verdadeiras enquanto duraram.

Certas situações das nossas vidas nunca vão voltar; bom, talvez você nunca mais encoste sua cabeça no ombro da sua amiga, talvez as suas piadinhas internas com o seu melhor amigo percam a graça e quem sabe, aquele seu colega com quem você discute música vai se afastar.

Ás vezes dói pensar em algumas pessoas e constatar que delas, só terei as lembranças. Dói mais ainda saber que não faremos novas delas.

Mas é isso a vida; Nós conhecemos, nos encantamos, nos apaixonamos e depois viramos memórias.

Eu sou insegura (o)

Eu sou insegura (o)

Quem me ensinou a não me amar? Os padrões, as cobranças das pessoas ou a minha fácil influência?

Eu procuro no espelho algum fragmento de confiança, mas não acho. Revejo a minha própria imagem todos os dias, com medo, nojo de mim mesma e evitando olhar meu reflexo para não sentir-me mal. Não, ninguém me ensinou a me odiar, eu aprendi sozinha. Aprendi que o bonito é o magro, o liso, o branco, o médio, o fácil, o burro, o sociável. O pequeno, o negro, o pardo, o albino, o alto, o cacheado, o crespo… isso é feio.  Descobri também que tenho o meu lugar, que um dia talvez alguém queira casar comigo, mas aí será por sorte. Bom, já eles vão se dar bem, simplesmente por estarem nos padrões, no que é mostrado como bonito.

Eu me culpo em todas as situações possíveis; Nunca acredito que alguém realmente gosta de mim porque sou legal, mas sim por generosidade, pena, bondade… por que quem iria me querer? Olha pra mim!

Eu imploro o amor dos outros, choro se não me querem, porque aquela talvez seja a minha única garantia de carinho. É isso o que eu procuro; o amor que não tenho pra mim, mas que posso conseguir dos outros.

Eu não tiro fotos, pois tenho medo de sair mal

Eu não vou á festas, pois nunca tenho uma roupa que caia bem em mim.

Eu não consigo entrar em relacionamentos, porque acho que nunca vou conseguir lidar com o compromisso… então fujo.

Eu nunca aceito pedidos de ficada de alguém, pois sempre penso que é brincadeira, uma aposta comigo.

Ninguém nunca me olha como alguém bonito. Eles dizem que sou legal, inteligente, simpática, carinhosa… mas e o bonita? Por que é que ninguém nunca diz que sou bonita?

A insegurança me afeta em todos os setores da vida, impedindo até mesmo que eu me relacione com as pessoas. Ela faz eu me esconder do mundo, com medo do julgamento, com pavor de ser considerada… feia.

Eco

Eco

Nós vivemos para preencher, preencher vazios.

Preencher o estômago, preencher o coração, preencher a carência… preencher, completar, ocupar tudo o que falta ou tem um espaço sobrando. Mas será que estamos esquecendo de preencher nossas mentes? O conceito de “vazio” se associou diretamente com as nossas almas? Estamos constantemente procurando algo para satisfazer a insuficiência que temos com nós mesmos?

Todos nós temos aquela lacuna não preenchida, a coisa faltando, o espaço vazio que nos assombra. E por quê? Porque somos a geração da falta de amor próprio, da não valorização do eu, das desilusões em relacionamentos. A persistência em algo que nunca dá certo, alguma coisa que te faz mal mas que pelo menos está ali, não é?

Mas afinal, o que estamos realmente tentando preencher dentro de nós?

A cultura dos filmes, livros e veículos de comunicação nos mostra que devemos ter alguém, não importa como, precisamos de um companheiro (a). E pra quê? Para ter felicidade, a famosa fórmula da vida perfeita, que claro, não pode ter a ausência do amor perfeito.

E se eu não tiver o amor? Bom, então você é fracassado.. muito provavelmente feio (a). E é isso o que querem te ensinar; que a vida só é completa se houver alguém do seu lado.

Porque você não se basta, você sozinha (o) não é o suficiente, nem mesmo a metade.

É por isso que incessantemente mantemos em nossa vida pessoas que muitas vezes, nem significam mais nada, mas são sinônimos da lembrança, da sensação de que pelo menos,  estamos sentindo algo. Aquela grande vontade de ter o amor, a tristeza, a raiva, a inveja.. o desejo de que, pelo menos 1 vez,  tenhamos algum sentimento, pois a pior coisa do mundo é não sentir, é não se machucar, é não ter a experiência de ter realmente sentido.

Então da próxima vez que você pensar nele (a), se pergunte; Por que você precisa tanto dele (a) ? Será que é amor á pessoa ou amor ao que ela te proporciona?

O ponto de vista

O ponto de vista

Quantas vezes já pensou no que o outro iria sentir?

Será que você possui alguma dimensão do quanto seu coração está partido?

Será que o seu instinto, que sempre tudo sabe, não reparou no brilho retirado desse par de olhos?

Será que você não mede o impacto das suas palavras nos sentimentos de alguém?

 Será que você já se colocou no lugar dele (a), pra saber o quanto há culpa em meio a tantas risadas?

Será que você não tem noção do quanto significa pra ele (a)?

Será que você sabe que a falta de atitude também fere?

Será que em algum momento da sua vida, você se culpou por um erro que nem ao menos foi seu?

Será que você não se despertou do quanto amor existe nesse outro coração?

Será que você não descobriu que mesmo sorrindo, ele (a) queria estar chorando?

Será que você ainda não reparou que em certas situações, palavras não são o bastante?

Será que em algum segundo, em um milésimo, você sentiu os seus batimentos sincronizarem?

Será que um dia você vai se colocar no lugar de alguém?

Meu jeito de superar

Meu jeito de superar

Eu segui em frente ao meu jeito. Virei a cara, sorri quando não tinha de sorrir, gritei quando precisava ficar em silêncio e ri quando não havia nada engraçado. Fiz o contrário do que todos fazem, escolhi ser o oposto do que a maioria é.

Essa não sou eu.Não vou te dizer desculpa se você me feriu. Apesar de alguns chamarem isso de orgulho, prefiro nomear como amor próprio. Afinal, por que sou sempre eu que tenho de ceder?

Alguns preferem continuar como estão, evitar o conflito. Eu escolho sempre o extremo; arrancar da minha plantação o que já não serve, por mais que tenha exigido esforço.

Não sei se é uma qualidade ou um defeito, mas eu não consigo fingir.

Pra mim, se acabou, acabou.

Como saber se a amizade acabou?

Como saber se a amizade acabou?

Amizade realmente não tem uma definição, não possui uma frase que possa dar a todas as suas sensações, um sentido. No entanto, se houvesse alguma, poderíamos dizer que é o primo de 1º grau do amor.

Dizem que ter seu coração partido por amor é a pior sensação que existe no mundo, mas por que ninguém fala do quanto o fim de uma amizade pode magoar alguém? Por que não existem passos ou manuais sobre como superar aquela sua antiga melhor amiga que ainda estuda na sua sala?

Por que as pessoas chamam qualquer um de amigo?

Percebeu que as coisas não são mais as mesmas, né? Talvez ela ou ele tenha arranjado aquele colega que parece ser legal, divertido e muito mais interessante que você. O clima está estranho e algo que parecia ser pra sempre, na verdade agora está chegando ao fim.

Ou você fez uma merda com o seu amigo (a), ele está chateado e agora a vergonha de ter magoado alguém que significa muito, é maior do que a vergonha na sua cara?

Bom, ou então é um daqueles casos onde a pessoa te machucou e agora você não sabe se vale a pena ou não continuar nisso.  Tem aquela dúvida eterna e dolorosa de que se a pessoa foi idiota agora, será logo depois.

Existem muitos motivos pra uma amizade chegar ao fim. Aliás, já vi milhões de frases toscas na internet que dizem que se uma amizade chegou ao fim, é porque nunca existiu. A grande bobeira dessa frase, é que somente o atual é verdadeiro. Apenas o presente é que define o que se é realmente verídico.

O que é ser amigo?

Será que é mesmo aquelas mensagens do orkut que brilhavam, ás vezes com ursinhos ou figuras fofas? Ou aqueles provérbios idiotas com frases feitas que pareciam se encaixar na sua relação com determinado indivíduo?

Assim como o amor, a amizade é algo que se sente e que não tem explicação. Ninguém precisa lhe dizer quem é o seu amigo, porque no fundo você já sabe.

É doloroso sim quando uma amizade chega ao fim, porque naquele ponto de estar magoado e não perder a razão, você se mantém em silêncio. Ás vezes é muito melhor deixar que o tempo cure as mágoas, do que ficar se perguntando se um dia os dois vão voltar a ser como eram antes.

Minha mãe me disse que todas ás vezes em que uma amizade verdadeira chega ao fim, uma nova se forma.

Então se você, nesse momento, está sofrendo por alguém que já foi o seu amigo e ainda dói até mesmo pensar nos momentos juntos, reavalie se talvez não seja a hora de deixar ir para que uma amizade nova se forme em algum lugar do mundo.

Eu sou um estepe?

Eu sou um estepe?

Eu recebi um comentário de um leitor dizendo que era meio que um “estepe” para uma garota que ele gostava. Confesso que fiquei em um misto de raiva da menina e raiva do menino por não tomar uma atitude. Porém, me identificando com a situação, me prontifiquei a escrever sobre ela.

Para quem não tem conhecimento nenhum sobre carro, estepe é o pneu reserva, o que se usa para uma emergência. Tipo, sei lá,  seu pneu furou no meio de um deserto monstruoso, quente e com criaturas que podem te matar, mas surpresa… TEM UM ESTEPE! Fique tranquilo, você está salvo (a).

O sentido figurado de espete está em se submeter a ser a segunda opção de alguém.

Só que tem uma coisa importante nisso:

Você só é um estepe, se permitir que alguém te faça ser um.

Não existem relacionamentos – sejam de amizade, amorosos, fraternais, familiares – onde só uma das pessoas se oferece pra ser o peso do papel. Você não precisa e não tem de ser o apoio de ninguém. O maior problema das pessoas em geral é achar que elas tem a missão de viver por outro alguém, de tomar os problemas delas pra si mesmas e ser seus analistas particulares.

Só que é aquela famosa regra do o que tem em excesso, nunca é atrativo demais.

O maior conselho que você pode receber sobre relacionamentos em geral, é colocar seu esforço apenas em quem coloca de volta. Nunca se esqueça que não se implora um lugar na vida de alguém, se conquista.

Me importar ou não me importar: eis a questão

Me importar ou não me importar: eis a questão

  Eu briguei com você e estou te odiando. Aliás, prefiro nem ver sua cara pelo o resto dos próximos 70 anos. Tudo bem.. Talvez 60. Ou 50. Ok, pode ser uns 15 anos.
Sinto não só raiva, mas principalmente aquela sensação de que sou a única que realmente se importa com o que acabou de acontecer. Por que as pessoas sempre parecem cagar pra tudo?
Esse século trouxe uma massa de gente que acha que demonstrar sentimentos é desnecessário, mas eu acho que desnecessário é dar sentimentos para pessoas que não querem eles!
O fato é que não sei se vou ou fico, se falo ou não.. Essa é a grande dúvida: me importar ou não me importar?

Alguém nasce triste?

Alguém nasce triste?

Eu acabei de rasgar outra página do meu caderno, não por estar arrependida do que escrevi, mas sim porque preciso escrever novas coisas, novos capítulos…

Eu costumava correr entre as mesas nas festas e sorrir para as pessoas. Todos elogiavam meus vestidos, meu cabelo e o fato de estar sempre entre todo mundo… quer dizer, havia uma certa paixão em analisar e observar o comportamento dos adultos. Desde criança eu tinha uma preferência por ser a líder; Queria inventar as brincadeiras, definir as regras e dividir os times. Não que houvesse certa presunção, mas talvez existisse um desejo de ser notada, a vontade imensa de querer ser amada.

Como se muda tanto de criança pra adolescente? Quando nós percebemos que estamos crescendo? Parece que quando estamos na infância, tudo é colorido; E depois as coisas  vão perdendo os tons e a vivacidade,  como se todos nós passássemos a assistir um canal em uma TV antiga, em vez da que temos hoje.

Foi nessa época que passei a sentir aquele aperto no coração, porque não havia mais desenhos, nem hora do café ou os meus pais na mesa. Comecei a perceber que não tinha ninguém; Amigos, parentes ou primos… nada. Essa sensação de estar sempre sozinha, não importa em qual circunstância, passou a me acompanhar desde aquele dia.

Nunca realmente me senti completa. Parecem aqueles filmes malucos onde uma criança depressiva vê seus pais se separarem, mas no meu caso, nunca sofri disso. Pra ser bem sincera, eu aprendi a me calar, a guardar as coisas pra mim.. e guardei tanto, que no futuro próximo iria explodir de tanto me sufocar.

 Honestamente, o que te transforma durante a sua vida são os fatos que te cercam. Os que me cercaram me transformaram. É difícil dizer quando você percebe que a mesma pessoa de 10 anos atrás ainda mora no seu coração. As mesmas inseguranças, as tristezas de não ter amigos e aquele sentimento de nunca ser boa o suficiente pra nada… foi com isso que eu cresci.

Os meus pais não foram ausentes. Eu possuía tudo o que precisava pra viver, mas no fundo, eu realmente não pensava que eu precisava viver. Então, quando tive uma das piores fases da minha vida escolar, não foi só aquilo que me fez ser quem sou hoje, mas sim quem eu era antes. A criança que havia dentro de mim não era feliz, essa é a pavorosa e triste verdade.

Acho que, ao longo da minha vida, passei a odiar as pessoas porque odeio as que me fizeram não me sentir como uma pessoa.

Tem gente que odeia a escola, mas eu só odeio a lembrança que ela me traz.

Tem cicatrizes que nunca vão fechar e essa é a realidade. Não importa o que se faça, elas vão estar lá pra sempre.

Então não se esqueça de escolher suas palavras, porque elas podem ser carregadas pra sempre por alguém.

%d bloggers like this: