Mês: Agosto 2017

Rara alma

Rara alma

Hoje, você é o brilho das estrelas.
Um pouco do sol,
Um pouco do céu,
Você é cada uma das pequenas coisas ao redor.
Uma partícula de poeira,
Uma alma poeta morando no amor infinito de quem te admira, de quem aprendeu a te amar,
De quem te conhece de uma vida.

Eu sinto muito por sua dor.
A dor invisível aos nossos olhos,
Mas latente em seus poros.
E em cada osso de seu corpo,
A dor do vazio, a dor do nada,
A qual você só queria arrancar do seu peito,
Mas não tinha ideia como.

Você viveu da melhor maneira que conseguiu.
Lhe admiro por suportar o peso do mundo em seus ombros,
apenas para que todos pudessem sorrir.
Você fez da sua voz um choro de alívio,
Fez da sua música, o nosso lar.

Quando o mundo perde um artista, também perde um pouco de beleza.
Essa poesia, que transforma o nosso mundo cruel em mais suportável.
Obrigada por deixar nossas almas agoniadas morarem em seus versos.

Descanse em paz.

%d bloggers like this: