Mês: Outubro 2017

Paleta de cores (parte 2)

Paleta de cores (parte 2)

Você terminou de colorir o céu,
E de repente, seus olhos já não faíscavam mais,
Eles não brilhavam como antes,
Quando cintilavam com as constelações da minha forma te fazer reluzir.
Tudo virou breu.

Eu fui a sua tinta vermelha,
Intensa e feroz,
Mas você era só o lápis branco em uma caixa de 48 cores.
E eu te emprestei todos os meus tons,
No entanto, você continuou invisível na folha.

De vermelho para cinza,
Na marca mais óbvia da melancolia,
Você sugou toda a cor em mim,
Enquanto completava sua paleta de cores.

Acho que eu sinto falta de te colorir,
Mas do que adianta,
Se agora eu sou cor de burro quando foge?
Talvez você mereça ser o branco de alguém também,
Tendo em vista que fui o seu o tempo inteiro.
Porém, não conseguia ver isso,
Pois estava ocupada demais preenchendo suas linhas para enxergar meu efeito sob o papel.
O nada.
Assim como o que fui para você.

Questionar… até demais?

Questionar… até demais?

Haverá sempre aquele aluno ou aluna que irá muito além do que o professor passa nas aulas. Ele/Ela quer descobrir o porquê da Revolução Francesa ter acontecido, em que ideologia se inspirou, qual o motivo de sua criação… emfim, o que está por trás de todo o caminho percorrido.

Quando eu digo que vai ter sempre alguém, quero dizer eu mesma.

Eu era esse alguém.

Sempre fui do tipo que não me conformava com algo simples, uma resposta monossilábica, preferia procurar e tentar desvendar tudo até o ponto de origem. Eu era a criança do “porquês”.

O inconveniente de ser questionadora demais é se dar conta que nem tudo tem de obrigatoriamente ter um significado. Às vezes não tem um porquê, só acontece.

Às vezes você pintou seu cabelo por pura vontade. Não teve uma separação, um evento importante ou o surgimento de fios brancos. Você só quis.

Talvez seja uma busca desnecessária por um profundo que acaba se tornando raso demais, pois no final, nem era tão fundo assim.

O mundo acabou

O mundo acabou

Todo mês surge uma data nova para o fim do mundo.

Há quem fique feliz por finalmente se livrar da desgraça em que se encontra o planeta no qual vivemos.

Outros, preferem exalar pânico e citar passagens bíblicas.

E tem também a maioria, que gargalha e faz memes na internet sobre quantos apocalipses e meteoros sobreviveram e tudo isso com menos de 20 anos.

No entanto, esquecemos de nos lembrar que todos os dias, em todos os lugares, o mundo acaba para alguém.

O mundo “para de girar” para quem perdeu um familiar, foi demitido, teve seu coração partido, descobriu uma doença ou simplesmente acabou uma amizade de anos.

O mundo “parou” para alguém hoje.

Talvez não para você.

Talvez esteja tudo bem por aí.

Não se esqueça que todos nós enfrentamos nossos fins de mundo em algum momento ou em vários deles.

Mas não se preocupe, ele não acabou, é só essa sensação de perder a gravidade e não sentir mais o chão,

eu lhe garanto que é passageiro.

%d bloggers like this: