Mês: Novembro 2017

Judas

Judas

Quem é você?
Que anda pelas florestas às escondidas,
Que cospe suas mentiras com a mesma facilidade que eu respiro.
Que gastou o tempo, que não tem volta, com alguém de uma noite só,
E que “esqueceu” de quem vai estar aqui pela a eternidade,
Ligado às suas veias,
A quem“,
você disse que não era capaz.

Você tinha a arma
Você tinha as balas
Mas eu é quem sempre tive a coragem
E eu não podia suportar o espelho refletindo sua imagem,
convivendo com a mágoa e a culpa de nunca ter visto,
o que eu preferi não enxergar.
Talvez para me poupar,
Só que isso apenas fez eu me afogar em um oceano de rancor,
nas águas vermelhas do sangue de minhas feridas abertas.

Quem é você?
Eu pergunto.
Quem é ele, que não conheço?
Onde você estava, quando minhas lágrimas molhavam a minha cara inchada?
Ah,
Talvez estivesse ocupado,
sendo o motivo delas.

Agora estamos próximos, mas um abismo de coisas não ditas nos separam.
E acho que você é muito si mesmo para conseguir “ser” outro alguém.
As pessoas dizem que o mundo é cruel,
Porém, o que acontece quando quem deveria lhe proteger da dor,
Torna o mundo ainda mais desumano?

O que restou do amor,
Se não a mágoa em pequenos fragmentos,
que os seus segredos terminaram de partir?
Quem é você?
Judas, ele me respondeu.
Eu beijei tua testa e depois te apunhalei.
Eu sou Judas.

A ironia do amor

A ironia do amor

Mãos dadas, sentimentos transbordando, coração acelerado.
Como será que é estar apaixonado?
Um crush, talvez dois, foi tudo o que tive.
Só para passar o tempo, contemplar o mais próximo de um romance,
Ou uma rejeição.
Seja por não ser bonita o suficiente, engraçada o bastante ou consideravelmente legal.
Nunca consegui ser o “eu” de alguém,
E ninguém também nunca foi “meu”.

Amor é superestimado.
É o combustível que alimenta o mundo,
É o único motivo pelo o qual continuas aquele livro chato, a novela sem graça ou o filme clichê,
você quer saber se eles vão ficar juntos.

E se talvez estejamos nos distraindo da verdade,
de que ninguém nunca vai chegar?
Esperando na porta, afogando santo e instalando tinder
Para o ouvir o mesmo papo de “um dia vai acontecer”?
Será que esse dia sequer existe,
Ou talvez é o amor que não existe para você?

Eu confesso.
Sonho com um menino diferente toda noite.
A idealização magnífica do garoto perfeito, do cara que eu desejo para mim,
E que me faz acordar todos os dias mais triste, simplesmente pelo o fato de não ser real.
Eu confesso que quero amar, mas sinto-me estranha demais.
A garota que escreve poesia e resmunga da vida
Que não acredita em nada mas pensa em tudo
E que não se ama mas quer ser amada.
O quão irônico é isso?

%d bloggers like this: