Categoria: amizades

O que eu nunca te disse

O que eu nunca te disse

Eu sinto sua falta. 
Eu não deveria sentir a sua falta,
Ainda que, pra dizer a verdade, ache que eu não sinta.
Eu sei que não te amo,
amo o sentimento,
e o que eu criei de você,
apenas para preencher a falta do que tinha em mim.

 

Eu te odeio
e eu menti,
nunca lhe perdoei por ter me desmontado
e levado os pedaços consigo.
Você me fez acreditar que eu nunca seria o suficiente,
para ninguém, 

só porque não fui para você.

 

Então, eu mudei.
Queria ser tudo
que não fosse eu mesma.
Você teve a opção de ser a diferença,
já que sabia dos anteriores,
mas preferiu mostrar que são todos iguais.
Eu não sinto sua falta.
Eu não te perdoei.
E eu também não sei,

se um dia vou lhe perdoar.

Paleta de cores

Paleta de cores

Cinza,

Do céu.

Todos os dias são os mesmos.

E todas as pessoas são iguais,

neste meu pequeno mundo fechado,

onde nada se modifica

E todos os dias são nublados,

Mesmo no Rio 40° graus.

 

 

Preto,

dos medos e demônios existentes

na minha alma.

Todos os pedaços que de mim ofereci, foram devolvidos pela a metade,

e agora, me odeio por inteiro.

 

Vermelho,

da dor e das mágoas que o tempo nunca curou.

Todo o amor que nunca senti,

e as histórias da minha imaginação

que nunca vão se realizar,

porque jamais fui o suficiente para fazer alguém permanecer.

 

Verde,

da esperança e desejo de que um dia

eu me complete.

Mercúrio

Mercúrio

Queria comprar o que reluzia

para ser respeitada

e me ver bem olhada, apreciada.

Então, fui em busca do ouro e prata

como no brasil colônia,  nas bandeiras, nos ciclos de ouro.

 

Achei a riqueza,

mas, com ela,

veio a miséria da minha alma.

Eu estava brilhando

com minhas jóias e,

perto dela, a rainha desejada,

sentia-me privilegiada.

 

Porém, descobri que

o meu maior privilégio

é nunca mais ter de olhar para ela.

 

Como o mercúrio,

tão preciosa, tão reluzente

se infiltra em nosso corpo,

em cada orgão,

intoxicando parte por parte

até que não reste nada

além de cinzas

e mágoas.

Normalidade Anormal

Normalidade Anormal

Somos todos tão “normais
e tentamos tanto ser normais
que já não é mais normal
o quanto nos esforçamos para entrar nesta
Normalidade Anormal.

Você vai sofrer, minha mãe disse.
Seus olhos aflitos procuravam nos meus
algum sinal de “normalidade”,
de comodidade segura,
de padrão confortável.
O padrão que nos mantém em nossas bolhas
e mascara uma falsa inclusão,
pois a aceitação é inimiga da diferença,
porque ela só existe dentro dos nossos padrões
de normalidade.
Serás aceito.
Desde que sejamos iguais.
me ensinaram a não me amar.

Por que gostamos de nos sentir especiais?
Por que nos achamos singulares
se estamos o tempo inteiro tentando ser como todo mundo
e se em cada passo que damos, desejamos ser mais como todo mundo
e menos como nós mesmos?

Queremos tanto ser extraordinários
que acabamos nos tornando normais
e o normal que queremos
é aquele em que somos todos iguais.

Rancor

Rancor

Tentando me perdoar
por me submeter
a tão pouco
por tão pouco.

Desculpa.
De novo? Eu rio.
Vazia “desculpa”
e insípida palavra,
que murmuras sempre
para justificar a sua tentativa de se sentir melhor consigo mesmo
às custas de uma dor que você não compreende.
Por que teve que me fazer sangrar
só pra te tirar da sua mediocridade?
Você não é menos que nenhum deles,
os que me ensinaram a me odiar,
pois você me ensinou a não sentir
e nem mostrar.

Tornou-me fria e rígida.
Assim como eles que

Pretérito perfeito

Pretérito perfeito

Eu poderia dizer, insistindo, como nas outras vezes, que você deve se levantar e dar um jeito em sua vida. De certo, o tiro sairia pela a culatra,  já que só fazes o que bem entender. Mas não posso evitar,  não consigo evitar de tentar te salvar.  Quando a vejo, com seus olhos escuros que escondem as tristezas, banhados por uma vazia sensação efêmera de felicidade, quero sentar ao seu lado e dizer que é suficiente.  Ainda que negue isso,  continuar repetindo…

até que passe a acreditar.

Sei que você toma dois copos d’agua antes das refeições – tudo porquê você precisa ser magra, pois só aí,  alguém finalmente te amaria. Inclusive, você mesma.

Eu sei das noites que você passa em claro, desejando ser qualquer outra pessoa, menos si a mesma.

Eu sei o quanto desprezo sentes pela a sua própria pele,  o cabelo encaracolado – reafirmando suas lindas raízes.

Mas você odeia tudo o que te faz ser você. E mesmo que com todo o esforço do mundo alguém tente ajudar, deverias primeiro parar de sentir pena de si mesma.
Deverias enxergar que eu sempre estive aqui, mesmo que eu não seja quem você queria. Ainda que nunca possamos beber até vomitar no tapete, nem sair para as noites da Lapa, permaneço aqui…

permaneceria..

passado…

 Isso foi antes. Antes de me dar conta que não importa quanto eu tente, nunca poderei te salvar.

Você não pode jogar a corda para quem não tem intenção de pegá-la.

Fim.

Pessoas que se importam

Pessoas que se importam

Pessoas que se importam são diferentes, pois se mostram diferentes, não precisam dizer que são. Elas são diferenciadas porque dão importância para aquela pequena coisa que você fez em uma madrugada difícil. Elas transformam as pequenas coisas em extradiordinárias.

Mas, mais do que isso;

essas pessoas te fazem crescer. 

Podem não te procurar nas próximas duas semanas, mas vão gritar por você em algum momento; elas vão perguntar das novidades, porque mesmo no meio do caos desse mundo onde todos estão querendo ser melhores uns que os outros, esse indivíduo quer que você seja o melhor que consegue.

 Pessoas que se importam demonstram o interesse sem precisarem dizer que estão interessadas. São em pequenos detalhes, exatamente quando elas perguntam mais sobre aquela vontade sua de fotografar ou te mandam mensagem pra saber se você está indo bem tentando se recuperar daquela crise existencial de ontem.

 Pessoas que se importam normalmente são as que não ficam se auto proclamando que se importam, porque elas não precisam atestar o que fazem para serem reais.

Pessoas que se importam podem deixar de se importar porque alguma pessoa que um dia se importou, pareceu só se importar quando foi benéfico.

 Devemos aprender muito com os seres vivos; devemos praticar o mutualismo, sempre sendo recíprocos com quem é conosco.

Seja uma pessoa que se importa,

mas só com quem se importa com você

Era uma vez, os meus amigos da escola

Era uma vez, os meus amigos da escola

Haviam duas ou três pessoas que eu confiava, mas eu gostava de todos. Aos 16 anos, você é ingênua demais para notar que as relações na escola são um peso de papel; ao contrário das folhas, ninguém quer sair voando sozinho por aí, então as pessoas precisam de algo para segurá-las.

Ou seja,

É melhor ter alguém do seu lado por estar, do que ficar sozinho. 

Eu era o peso, mas nunca fui a folha. Não que eu me lembre, pelo menos. E por muito tempo, eu me culpei por achar que todos nós iríamos virar uma turma de amigos. De alguma forma, eu canalizava minhas expectativas nas pessoas e ficava com raiva se ninguém correspondia a elas.

Eu queria uma turma de amigos; só faltava os amigos.

Os que não se amam, os que não sabem amar e os que não foram amados direito

Os que não se amam, os que não sabem amar e os que não foram amados direito

Uma mensagem deixa de ser respondida. Um vácuo ali, outro aqui. De pouquinho em pouquinho, vou deixando de ser e passo a não ser, até que eu me torne mais ninguém. Pra ninguém.

De pouquinho em pouquinho, armo minha própria armadilha e estanco os sangramentos que causei a mim, logo após sabotar-me. No português, é uma voz reflexiva. Na vida, é odiar-se tanto a ponto de não achar que merece ser feliz.

As portas do mundo se fecham e eu me tranco em meu universo, cheia de auto piedade. Clamo e declamo à mim mesma que não mereço isso. Mesmo que seja como um mantra, não preciso repetir todos os dias para acreditar. Fui ensinada a isso. Sim, você consegue aprender a não apreciar-se. E não importa quem lhe ensinou, de um jeito de outro, isso acaba fazendo parte de você. Mas quem pode arrancar essa pele? Você tem certeza que está pronto para morrer no processo? Afinal, “às vezes é preciso sangrar para saber que está vivo”.

É duro não ver a si como digno. Não se pode sorrir sem que se culpe, sem que se condene. Talvez eu tenha aprendido a cavar buracos em mim, como meus cachorros. Porém, ao contrário deles, eu não cavo no chão e não busco nada. Só acho o infinito e acho dor. Ambas as coisas tem algo em comum. Não tem um fim.

E assim vou empurrando para longe aqueles que bem me querem, assim como quem um dia nunca se importou, me afastou também. Sou uma daquelas tontas que afugenta  porque tem medo de ser mais uma que foi afugentada. Uma daquelas que, dentre tantos ensinamentos, para bem e para o mal, aprendeu a ter medo de estimar e ser estimada.

Bem-vindo ao clube daqueles que não se amam e não sabem amar.

Ou não foram amados direito.

“Às vezes é preciso sangrar para saber que está vivo” – frase da música “Tear In My Heart”, da banda Twenty One Pilots.

Lei da Inércia

Lei da Inércia

Com paus e pedras tu me atinges,

Quando, na verdade, a ironia é você possuir o escudo e só proteger a si mesma

Talvez seus olhos tenham esquecido de olhar através de mim e enxergar a minha dor

Afinal, você sempre soube dela melhor do que ninguém

Quem tinha o poder para fazer tudo ficar bem e me cobria com o lençol

Hoje me sufoca com palavras.

 

Dizem que cada vez que mexemos na ferida ela volta a sangrar

Porque um machucado nunca está completamente curado

Deve ser por isso que ainda sinto os meus perfurarem a minha pele.

 

Você não é a única que está chorando a noite

Não é só nos seus sonhos que as coisas continuam dando errado e não dão folga a sua mente

Apesar de parecer invisível, a minha dor também existe

Mas é que eu aprendi a torná-la incolor, para que, assim, só em mim exploda o vermelho da dor.

 

Eu queria ter 6 anos de novo e me envolver em seu abraço

Enquanto você me consolava pelo o pesadelo que eu tive

Mas acho que na vida acontece dessas coisas

Onde aprendemos a sobreviver

Ao mesmo tempo que fazemos os outros sentirem os nossos machucados

E talvez assim, não nos vemos tão sozinhos.

%d bloggers like this: