Certo e errado, muito e nada e todos esses opostos.

Certo e errado, muito e nada e todos esses opostos.

Eu deixei para lá gente que criticava minha sensibilidade e não entendia que ela é uma das melhores partes de mim. Gente que não compreendia a compaixão em sua essência e não praticava a empatia, pois eram si mesmos demais para serem outros, nem que por 1 minuto.

Não vou pedir desculpas por quem eu sou ou por quem eu era. Eu te aceitei, lhe acolhi, deixei você entrar.

Eu nunca deixo ninguém entrar.

Minha mãe me disse que eu sou rancorosa e é verdade. Nasci assim, sem o botão do meio, só com o muito ou nada.  Eu senti muito por você… até que restou nada. Quer dizer, não nada, pois há o rancor, a mágoa, o arrependimento.

Acho que depois de tantos textos, poemas e versos sem sentido, entendi que nada é bom se te faz sentir errada. Não tem nada de ruim em ser você e se alguém disser ao contrário, provavelmente é porque você está certo.

Compartilhe!
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Tumblr
  • Amanda Maniçoba

    Gosto de seus textos, e te considero intensa e visceral. Continue expressando seu Eu verdadeiro e os que forem contra , os acolha e reflita e absorva só o que for bom para você.

    • Muito obrigada. É um elogio ser chamada de intensa e é incrível saber que alguém tirou um tempo para ler meus textos. Espero que continue por aí e comentando! Obrigada de coração.

Comments are closed.