Elevador

Elevador

Por que eu só não podia ser como todo mundo, eu me pergunto.

O elevador está subindo para o andar em que minha vó está internada e eu tenho uma etiqueta de visitante colada no meu peito.

Eu nunca me senti tão adulta.

Eu nunca me senti com tanto medo antes.

Eu só queria ser normal, eu só queria não estar em pânico, eu só queria não ter vergonha do meu cabelo suado e grudento na minha nunca e poder olhar para o vidro preto que reflete minha imagem no outro lado.

Eu só queria que essas estrofes ficassem certas, mas eu nem sei se isso realmente é um poema.

Eu só sei que elas são pequenas demais para um oceano de temor que cresce em mim.

Eu peço desculpas se nada rima, mas é justamente porque não precisa ser bonito, só precisa ser real.

E essa sou eu, a que está refletindo no espelho do elevador, a que está com medo de deixar de ser invisível como sempre foi.

A que só quer sair desse elevador.

 

 

 

Compartilhe!
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Tumblr
Comments are closed.