Escrevendo para curar

Escrevendo para curar

Já sentiu sua vida se esvaindo por seus dedos, como grãos de areia? Aquela sensação no estômago parecida com um coração partido, só que pior? É diferente, pois o que partiu foi você. Sua alma. É aquele vazio de mergulhar em si mesmo e descobrir que, talvez, existam demônios que você não quer enfrentar. É, também, um pouco de poesia. E dizem que a poesia se faz com rimas, mas eu te digo que ela se faz com dor. De pouquinho em pouquinho, transformei a minha em versos, observando-a desmanchar-se e transformar-se em tinta no papel. Foi assim que eu comecei a converter sentimentos em estrofes e traumas em metáforas e dei vida aos meus pensamentos mais profundos. Por fim, abrindo a porta do meu mundo para quem estiver disposto a querer entrar.

Compartilhe!
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Tumblr
Comments are closed.