Estamos todos perdidos

Estamos todos perdidos

Existe uma imensidão de gente no mundo. Quando eu olho da minha janela e vejo tantas pessoas caminhando, questiono-me se todo mundo tem a mesma impressão; Todos sempre parecem mais felizes que nós. Seus sorrisos são mais largos, as famílias mais unidas, os amigos mais leais e a vida mais perfeita. Querendo ou não, a grama do vizinho sempre parece mais verde e florida.  Nós olhamos para os outros como se eles não possuíssem problemas. Ás vezes, parece bem mais fácil fingir que somos as únicas pessoas que temos coisas que não conseguem ser resolvidas. É bem mais simples ter pena de nós mesmos do que assumir que não somos especiais… e nem os nossos dilemas. Somos comuns até demais.

Reclamamos demais da nossa vida, criamos problemas em nossas cabeças porque queremos sentir, pois buscamos sentir mesmo que não seja da nossa vontade. Isso é instinto, é ser humano.

As pessoas se acostumam com o vazio. E elas tem o vazio dentro delas, ainda que não percebam. O “vácuo” é aquela sensação que nada pode te preencher, não importa o que você tente fazer pra mudar. E é, nós tentamos muito. Corremos atrás de pessoas que não nos acrescentam nada, nos deixamos ser humilhados e pisados por pouca coisa e criamos sentimentos que não existem apenas pra nos sentirmos melhores. O vazio esgota as nossas almas, ele suga aos poucos toda a energia e vontade de viver, até que uma hora nos leve por inteiro.

Quem nunca recebeu amor nunca reconhecerá esse sentimento ao vê-lo, ao menos que alguém mostre. No entanto, o vazio não é o amor que você não recebeu ,- apesar de estar relacionado com ele-, o vazio é o auto respeito que não possui dentro de si mesmo. É querer tanto, é gritar tanto internamente em busca de alguém que lhe faça sentir amado e não ter ideia que único alguém que pode fazer isso é você.

Sabe onde o vazio se manifesta? É quando você para de ligar. Uma pequena parte do seu cérebro sabe que você liga, mas a vida te frustra tanto que um pedaço da sua alma e daquela pequena esperança que no fundo sempre temos, se esgota. É acordar de manhã e não ligar com quem estará ou o que essa pessoa falará, porque quando se desiste de tudo ,- nada específico, mas tudo ,- você passa a respirar, pensar e viver como alguém que não espera mais nada e não liga de ter que fingir que não se incomoda a monotonia em que está inserido. Isso é estar perdido dentro de si mesmo.

Todos nós choramos, temos dias ruins e nos arrependemos de algumas coisas. Ninguém é imune a frustração e a tristeza. As pessoas cometem erros e a vida de ninguém é perfeita, mesmo que pareça ao contrário. O problema é que queremos que as pessoas pensem que somos felizes demais, porque aí finalmente poderemos acreditar no que dizemos para nós mesmos. Só que não há nenhuma pessoa do mundo que é feliz 100% dos dias. A felicidade está nas coisas que nos motivam para continuar e até nas que ás vezes não nos compreendem, mas nos amam. É muito difícil ser feliz. É duro encarar essa vida sozinho porém a solidão, em algumas situações, é tudo o que temos.

Eu sei que existem pessoas no mundo ,- assim como eu -, que sentem que não se encaixam em nada. Elas ficam perdidas, algumas sonham com coisas melhores e outras só aceitam. Se conformam porque estão cansadas de acreditar que a vida delas podem mudar, e a maioria é tão jovem e está perdida demais. De alguma maneira, penso eu que estamos todos perdidos, com medo, vários problemas e algumas coisas estúpidas. Mas de outra, tenho certeza que temos que nos achar primeiro para depois acharmos outro alguém.

Compartilhe!
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Tumblr
Comments are closed.