Eu não consigo viver sem ele (a)

Eu não consigo viver sem ele (a)

Eu costumava pensar em certas pessoas como insubstituíveis. Na minha vida, sempre levei muito a sério os meus relacionamentos, exigia tudo de volta da mesma maneira e quantidade, se não tinha isso, ficava frustrada. No entanto, descobri algo muito importante nesse meio tempo; as pessoas vão embora, saem, se cansam e arranjam outras.

Acredito puramente que não existem pessoas iguais, porém afirmo que nenhuma delas se chama oxigênio e é por isso que posso viver sem elas. Eu falo de uma forma – talvez mais simples – prática, porque literalmente na prática, isso não é fácil. Quer dizer.. se alguém sofre ao se desprender de alguém, não é errado ou idiota, só significa ter sentimentos.

Sempre bato na tecla de desapego e desprendimento, porque acho que ás vezes a única coisa que resolve realmente uma relação, é o famoso gelo. Mas sabe de uma coisa? Em uma amizade ou em um namoro realmente verdadeiro, ninguém deveria estar se policiando ou arquitetando planos pra ver se o outro indivíduo sente falta, percebe a presença, valoriza mais quem a pessoa é. Não se deve implorar por atenção, amor ou carinho, porque a pessoa tem que dar isso á isso você por vontade própria, não por conta de um ato infantil.

Ás vezes, a gente mantém uma relação apenas por medo de estar sozinho ou por aquela apreensão de perder tudo o que se construiu com alguém. Só que as lembranças elas ficam e disso você não pode esquecer, principalmente porque delas ninguém pode viver.

Não se deve fazer de alguém o seu mundo, mas sim fazê-lo parte dele, porque se caso ele (a) for embora, você não perderá o seu mundo inteiro.

Compartilhe!
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Tumblr
Comments are closed.