Longas linhas de indignação

Longas linhas de indignação

Tem uma dor
rasgando meu peito.
Uma dor em forma de lembranças
E perdas
que eu nunca vou conseguir reparar.

Tem um rosto em minha mente
que é o motivo do caos
e de toda a insegurança
que eu não sei se posso evitar.
Porque eu acho que esses traços em sua face
levaram toda a minha energia.

Não foi só o que você disse
mas também o que deixou de fazer
e o jeito que me fez sentir
como se eu fosse errada
por ainda tentar.

Não foi só o que você não disse
mas também o que você fez
e a maneira como não se importava
em não se importar,
como se eu fosse descartável
e fácil demais de deixar de lado.

Você não se preocupou
pois sabe da minha frequência em me doar
para quem não se incomoda
em não retribuir.
Porque é verdade
ninguém tem dúvidas
de que eu sempre volto.

Como você pode
me deixar ir
com a facilidade que você respira?
Ainda não entendo.
Ainda não compreendo.
A única coisa que eu sei e tenho certeza
é que você me machucou
e nunca se deu ao trabalho
de oferecer um curativo.

Eu estou cansada de me sentir com raiva
especialmente se você
não sente nada.
E a ironia é que
no final,
as pessoas que nos ferem
são as que menos peso carregam.
E eu já sinto as minhas costas curvadas
pelo o volume de mágoa
que eu tenho em minha bagagem.

Compartilhe!
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Tumblr
Comments are closed.