Máscaras

Máscaras

Você viu aquilo?

Não.

Então acaba se tornando um deles,

fingindo que não enxerga,

para não ter de lidar com sua consciência

antes de dormir.

 

“Se você ouviu alguma coisa,

saia correndo,

e, se ela tem um olho roxo,

 

não é da sua conta, deixem que se resolvam”

Até que ela morre e você lamenta,

como todos os outros,

que tapavam os olhos para poder acreditar nas próprias mentiras,

ao dizerem que não tinham culpa.

 

Eles dizem, fale a verdade,

em uma nação que a honestidade é um ato de heroísmo

e não rotineiro,

em um mundo que as pessoas preferem a mentira confortável,

do que a verdade que restaura.

Eles dizem, fale a verdade,

mas quando se diz a verdade,

recebe-se em troca a solidão,

pois todos estes simulam para conviver e não se comprometerem.

Bem vindos a sociedade de interesses,

nada vem de graça.

 

Não é um poema,

muito menos, a melhor coisa que escrevi,

e eu não me importo com estrofes, versos e linhas.

Só estou exausta da hipocrisia ao meu redor

e das verdades que ninguém fala

com medo de se comprometerem.

Estou livre dessas máscaras, dos fingimentos

eu estou sozinha, mas sou eu.

Estão todos em bando

e eu não os reconheço em nenhuma de suas máscaras.

Bem vindos ao mundo dos adultos.

 

 

Compartilhe!
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Tumblr
Comments are closed.