Não estou aqui para atender suas expectativas

Não estou aqui para atender suas expectativas

No início desse ano contei para minha tia sobre o meu resultado no vestibular. Não devia ter feito isso. Ela me encheu o saco sobre o quanto eu deveria escolher logo um curso, começar de qualquer maneira minhas aulas…emfim, falou demais no meu ouvido. Só que têm algo que as pessoas não sabem sobre mim: filtro o que ouço e só deixo o que posso aproveitar. No entanto, nem sempre dá para descartar e fingir que não ouvi.

Às vezes, as pessoas pensam que sabem mais sobre a minha vida do que eu mesma. Essa é a maior problemática de sair espalhando para alguns – ainda que poucas pessoas – sobre suas futuras decisões, já que isso acaba criando uma expectativa. No entanto, nem sempre vou querer levar para frente, entende? Sim, eu já quis ser veterinária, estilista, pediatra, psiquiatra, antropóloga e até fotógrafa, mas idai? Eu vou ter muitas vontades na vida, mas não necessariamente tenho a obrigação de torná-las realidade. Em algumas situações, planos são só planos e às vezes, a gente só quer sonhar.

Confesso que sou do tipo que não gosto de escutar conselhos, tenho que ser sincera. Odeio que tentem me dizer o que fazer, pois na minha cabeça, as minhas escolhas são da minha conta e de mais ninguém. Só que nem sempre funciona assim, especialmente com a família. Eles querem perguntar, provavelmente para dar pitaco – e claro, por uma preocupação também. Lá no fundo, sei que existe – e acabam por achar que sabem o que é melhor para todos nós. Acho que é essa a grande dificuldade entre transitar da idade adolescente e jovem adulta, há uma grande cobrança sobre ser bem sucedido e ao mesmo tempo, em seguir o caminho certo. Mas sabe de uma coisa? Ninguém tem que, de uma hora para outra, ter certeza do que quer para a vida inteira e não é a família que vai definir isso.

O problema é que estamos sob expectativas de todo mundo. Da sociedade, da mídia, dos nossos amigos, dos companheiros ou companheiras e de quem nos cerca. Todavia, nem sempre é o nosso dever ter que suprir isso. Aliás, quase nunca. O objetivo da nossa vida é fazer o melhor para nós mesmos, ou seja, nos deixar felizes e nos sentir realizados. Não há sentido em viver a sua vida para outras pessoas. Viva para você, mesmo que isso signifique abrir mão de algumas coisas.

As suas expectativas sobre mim não são problema meu. Não vou fazer o curso na faculdade que você pensa que é melhor, não vou cortar meu cabelo pois pensa que ficará mais bonito e não irei namorar alguém só para te fazer sentir satisfeito (a). Tente viver por si mesmo, eu garanto que vai ser bem mais saudável do que fazer as pessoas viverem para lhe fazer sentir realizado (a) consigo mesmo (a).

Compartilhe!
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Tumblr
Comments are closed.