O ponto

O ponto

37 minutos e o refrigerante já perdeu o gás.

Eu odeio café.

Não vou dizer que escrevo enquanto bebo café, porque na realidade eu odeio café.

Eu odeio também não saber o que escrever, principalmente quando infinitas palavras rondam a minha mente e nenhuma delas parecem fazer sentido juntas. Quando isso acontece abro o bloco de notas e digito o que vem nos meus pensamentos profundos.

O resultado foi um ponto.

Não qualquer ponto, mas O PONTO. Nem a vírgula, o parênteses ou as reticências, só o ponto mesmo. E pontos indicam o fim de alguma coisa.

Ponto pra aquela sensação de insuficiência. Ponto pra aquela dor na barriga quando eu ia apresentar um trabalho escolar. Ponto para os dias que eu só queria chorar, pois tudo estava dando errado. Ponto para a minha falta de fé em mim mesma. E acima de tudo, ponto pra você. Mas não ponto e vírgula, o final mesmo. Porque bem, adivinhe só; Você marcou tantos pontos negativos, que nunca mais poderá ter um saldo positivo. Você colocou tantas reticências e tantas vírgulas, que eu resolvi chegar e colocar um ponto final.

Compartilhe!
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Tumblr
  • Um texto simples com muito significado. Com certeza colocamos, com o tempo, um ponto final em tudo que não nos faz bem. A cada passo que damos, as palavras e emoções começam a achar um caminho certo dentro de nós, e sabemos exatamente se aquilo realmente vale ou não à pena tomar nosso tempo. Adorei o texto. Não sei se você estava realmente tomando café e sem motivação haha, mas se sim, ótimo trabalho. Palavras não falham, pois até o silêncio é poesia.

    • Primeiramente obrigada por visitar meu blog, amo o seu de paixão.
      Depois obrigada de novo pelo o elogio. Acredite, acho que sentir esse texto foi muito mais difícil do que escrevê-lo em si. E a inspiração com café foi com refrigerante, na verdade.
      Obrigada de novo e obrigada por reconhecer o significado desse texto <3
      Abraços.

Comments are closed.