Paleta de cores (parte 2)

Paleta de cores (parte 2)

Você terminou de colorir o céu,
E de repente, seus olhos já não faíscavam mais,
Eles não brilhavam como antes,
Quando cintilavam com as constelações da minha forma te fazer reluzir.
Tudo virou breu.

Eu fui a sua tinta vermelha,
Intensa e feroz,
Mas você era só o lápis branco em uma caixa de 48 cores.
E eu te emprestei todos os meus tons,
No entanto, você continuou invisível na folha.

De vermelho para cinza,
Na marca mais óbvia da melancolia,
Você sugou toda a cor em mim,
Enquanto completava sua paleta de cores.

Acho que eu sinto falta de te colorir,
Mas do que adianta,
Se agora eu sou cor de burro quando foge?
Talvez você mereça ser o branco de alguém também,
Tendo em vista que fui o seu o tempo inteiro.
Porém, não conseguia ver isso,
Pois estava ocupada demais preenchendo suas linhas para enxergar meu efeito sob o papel.
O nada.
Assim como o que fui para você.

Compartilhe!
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Tumblr
Comments are closed.