Pra você vestibulando

Pra você vestibulando

Eu não sou um número. Eu não sou uma nota. Eu não sou uma questão certa e muito menos uma errada. Eu não sou o concorrente de ninguém, porque o meu único adversário sou eu mesmo. O meu futuro sou eu quem faço e não importa o que acontecer nesses 2 dias, naqueles 2 dias ou em outros dias, tenho que ter a consciência que posso e sou capaz de qualquer coisa. Posso se eu querer e tentar fazer. Sei que pode ser injusto, desigual, medido em uma meritocracia que não existe, mas é um mal que necessito. É um mal que me julga por coisas que não definem se serei bom profissional, mas é o que eu tenho. E o pior disso tudo é que tem gente que nem pode ter. Gente que nem pensa nessa possibilidade ou a considera, porque disseram que não tinham chance nenhuma. Mas tenho sorte, nós temos sorte; Temos alguém que acredita no nosso potencial, uma pessoa que investe no futuro em que podemos chegar a ter. E mesmo que esse alguém seja eu, pelo menos há alguém.

Quando eu chegar lá não vou pensar no que não sei, no que deveria ter estudado e não consegui, porque estava exausto e esgotado. Não irei me cobrar e me condenar se não acertar uma coisa que eu sabia, porque tenho conhecimento da minha capacidade. Não irei dar ouvidos à pessoas que me dizem e condenam-me por ter ou não ido bem, porque só eu sei do meu esforço, do que posso fazer e das minhas dificuldades. Afinal, a vida não acaba porque nós falhamos, pelo o contrário. Quando falhamos é só a vida dando uma oportunidade de fazer diferente.

Compartilhe!
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Tumblr
Comments are closed.