Saudade

Saudade

Nunca sequer houve alguma palavra que traduzisse saudade com o mesmo significado que tem em português. Isso porque não há nenhuma que substitua a intensidade da saudade e descreva a dor que ela causa quando presente. Sentir saudade na verdade, é como ver algumas memórias se juntarem a uma imensidão de coisas que nós já vivemos e causarem a sensação de que jamais as teremos novamente. É ter a impressão de que a partir de um determinado momento alguém que carrega informações preciosas sobre você, é capaz também de tornar-se um completo estranho.

Sinto saudades da minha infância, de ser ingênua, acreditar em papai noel, em magia e crer que eu podia fazer qualquer coisa. Sinto saudades de não ter vergonha do que iam pensar de mim, nem de me incomodar em ficar sozinha ou de parecer boba, porque quando se é criança não se tem noção do que é certo ou errado, apenas sabe-se que aquilo lhe faz feliz. Sinto saudades de poder correr pra cama dos meus pais quando tinha um pesadelo ou de me permitir fraquejar, chorar, de ter não ter que ser madura o tempo inteiro e de não ter que encarar tanta pressão. Sinto saudades de quando a vida era mais bonita e de quando não sabia o que eram guerras.

Sinto saudades dos que já se foram, das presenças que aqui deixaram dores e nostalgia. Sinto saudades das coisas que os faziam únicos e que hoje são apenas fragmentos de memórias que me fazem sorrir. Sinto saudades da rotina a qual eles faziam parte, da mínima normalidade que pensava ser entediante mas era extraordinária. Sinto saudades daquilo que só eles sabiam pareciam fazer e da luz que trouxeram pra mim. Sinto saudades de quem a vida levou, de quem o céu nos tirou e de quem a saudade insiste em meu coração apertar.

Sinto saudades de quem eu vejo todo dia, das pessoas que sabem os meus pequenos segredos e das coisas que me fazem ser o que sou, mas hoje já não fazem mais parte da minha vida. Sinto saudades das risadas, das brigas que acabavam com uma piada e de só passar o tempo em silêncio, sorrindo. Sinto saudades das piadas internas, dos fatos que apenas nós sabíamos e das implicâncias. Sinto saudades de estar ao lado por estar, de receber carinho e dar carinho ou de simplesmente de estar lá. Sinto saudades de perder a noção do tempo, rir por coisas idiotas e me sentir um pouco menos sozinha. Sinto saudades de quem me deixou ir, de quem deixei ir ou de quem simplesmente a falta de assunto afastou.

Sinto saudades de momentos, sinto saudade de quem está distante e significa muito mais do que quem está perto. Sinto saudades de ter algo pra me segurar, de não ter que pensar tanto no futuro ou de só sentar-me e não fazer nada. Sinto saudades de não ter que saber o que quero pra minha vida inteira e nem daqui a 10 anos.

Sinto saudades até do que nunca tive.

Saudades.

Compartilhe!
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Tumblr
Comments are closed.