Se não sangra, não fere

Se não sangra, não fere

Quando seus corpos congelarem e seus pés não puderem mais caminhar, peça para que levantem.

Quando seu olhar para no nada e o sorriso encontrar-se vazio, diga para que assistia um filme ou saia com amigos.

Quando o peso no peito derrubar e o gosto salgado do pranto inundar toda a sua face, sugira que se acalme.

Quando o ar faltar nos pulmões e sair pela a porta parecer impossível, pergunte se não está exagerando.

Quando afastar todos em volta por medo dos julgamentos e sentir-se como uma madeira oca, apenas fale que positividade resolve tudo.

Porque os machucados da alma são exatamente como os da pele; basta colocar um band-aid e estará curado

Compartilhe!
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Tumblr
Comments are closed.