Etiqueta: empatia

Empatia

Empatia

Perspectiva.
Modo de olhar.
Visão.
Ângulo.

Todas essas palavras têm seus significados atrelados de acordo com a posição de quem as define. Posição no sentido da forma que alguém vê uma situação. Na maioria das vezes, a maneira que olhamos para os acontecimentos da vida de outras pessoas, é cruel, ditando o que faríamos ou não,  julgando suas decisões e condenando-as por não terem agido da mesma forma que nós supostamente faríamos.  Temos a mania de aplicar a nossa realidade aos outros e nos irritamos se as pessoas não agem conforme queremos. Somos egoístas e pensamos sempre no que é melhor para nós mesmos, com a função contínua de nos fazer sentir confortáveis, ainda que isso sacrifique a felicidade de alguém.
Tentar se colocar no lugar de um individuo que está sentindo coisas que você nunca sentiu, é como ouvir uma pessoa falar um idioma que não conhece, pode até ser que escute, mas não vai absorver ou entender, a não ser que aprenda – ou no caso, passe por isso.

Você nunca vai entender, então não diga “eu sei que o está passando“, se não sabe de verdade. Isso invalida completamente um sentimento que não tem ideia do que seja. Não é sobre você e o quanto sente muito, mas sim a respeito de alguém que se deixou ser vulnerável o suficiente para lhe deixar entrar. O mínimo que deve fazer é escutar e deixar claro que está presente, que continua escutando, mesmo que não compreenda.
Afinal, nem sempre quem te ama te entende, os seus pais – sejam de qual configuração de família for – são um exemplo disso.

Eles não fazem de propósito,  no entanto. Às vezes, é questão de não parar para ouvir, outras, de ignorância ou apenas falta de sensibilidade, o que acontece bastante. As pessoas não tem um olhar humano em relação às outras, elas não enxergam que em algum momentos, tudo o que o outro precisa é ser escutado e não esmurrado de palavras clichês ou sermões morais. Não existem palavras certas, mas há o silêncio que conforta e reafirma

Eu estou aqui, mesmo que não consiga te entender. Eu não estaria chorando se fosse você,  mas não sou eu, então tudo bem… porque eu tenho empatia por você e isso é tudo o que importa.

A dor de um vazio

A dor de um vazio

Como não pôde ver em seus olhos?
Havia sangue.
Havia dor.
Havia desespero.
Em sua pele, nas arestas mais profundas, o vazio se misturava
com o medo de não poder sentir bem de novo
nunca mais.
Com o pavor de talvez, não ser capaz de respirar sem sentir o ar escapar.
Foi aí que desapareceu.
Para sempre.

Não houve condolências
mas dedos apontados.
Não houve abraços reconfortantes
e sim olhares cruéis de pessoas que queriam achar culpados
para se livrar do simples fato
de que todas eram um pouco culpadas também.
Em vez do “por que?”
ouvia-se “já era de se esperar…”
“claro que sim, eu sabia….”
Ninguém nunca olhou além e questionou se estava tudo bem.

Alguém perguntou para você se está tudo bem?
Não.
Isso porque
todo mundo está bem mais preocupado com o horror de uma escolha
do que com o motivo dela.
Todo mundo se importa bem mais em rir daquele mais tímido
do que chamar e incluí-lo.
Todo mundo se interessa mais em fingir que ama a todos e não discrimina
só para não queimar no inferno
mas realmente não pratica o amor.
E a falta de amor
leva ao vazio
e o vazio
que lhe deixou a alma oca
matou por dentro
aos poucos.

Todos eles lhe mataram
com cada palavra ou a falta delas
e cada olhar ou a ausência deles
e cada vez que disseram
que não era bom o suficiente.

Ele não queria sumir porque queria morrer
ele queria sumir para que parasse de doer.

Quem se importa? Eu sim

Quem se importa? Eu sim

Eu deveria ficar ou ir embora?
Como eu faço para parar o que está doendo em você?
A sua dor me machuca mais do que a minha própria.
Posso lidar comigo sofrendo, posso aguentar minhas lágrimas,
mas não consigo suportar te ver com suas feridas.
Parece que alguém rasga meu coração toda vez que você chora.

Esta chuva que está lá fora,
eu espero que ela varra toda a sua angústia
e às vezes, eu queria poder sofrer no seu lugar.
Mas me disseram
cada um tem que passar por sua própria dor
e não é responsabilidade de ninguém
salvar ninguém.

O mundo está chato ou só era legal para alguns?

O mundo está chato ou só era legal para alguns?

Zombar a si mesmo faz com que as pessoas não tenham poder sobre você. Se você ri das suas próprias inseguranças, quem vai poder tirar sarro delas?

Isso é o que meu coordenador do fundamental dizia. Ele achava que a defesa perfeita contra o bullying que eu sofria era rir de mim mesma, no entanto, não é fácil para alguém com baixa auto estima enxergar graça nas coisas que considera “defeitos” e as atordoa, impedindo-a de viver normalmente. Esta é a pequena ponta de um assunto que engloba vários outros.

Até que ponto é engraçado e quando passa a ser mal gosto? Aliás, qual o conceito de graça?

Tudo depende de quem faz e para quem está sendo feito. Geralmente o humor vem sempre de alguém que tem uma voz, um indivíduo que possui espaço para fazer outros rirem. E como, obviamente, “ter uma voz” é algo exclusivo para os que estão no topo, a piada passa a ser uma coisa originada de .

As situações são hilárias quando não estamos envolvidos.

Eu mesma “ria” de piadas de enterros…

até ir ao enterro da minha avó.

Assim que vivi o acontecimento me coloquei no lugar de quem presenciou aquilo também e pensei que não parecia tão divertido quanto achava que era. Por muitos meses, eu não achei graça, não conseguia rir.

É como funcionam as coisas. Tem sempre gente que vai gargalhar. O humor é usado para fazer o ser humano se sentir melhor com sua vida de merda, com as inseguranças, os preconceitos, as verdades não ditas. O mundo sempre foi chato, mas não para todos. Era chato, mas só para a pessoa que possuía o alvo em seu peito. Ele era chato para mim e para muita gente que tinha como situação real o que era considerado chacota.

Mas acredite, você pode ser engraçado sem ser mal.

Furacão

Furacão

Me deixe te dizer

e mostrar

o que os seus olhos não podem ver

pois,

estão cegos pelo o ódio

que você aprendeu a ter por você.
Me deixe te confessar

que eu também vejo o mundo melhor

sem eu nele,

caminhando e perdida

tentando e lutando

para saber o porquê

de eu estar viva.
Me deixe chorar com você

e derramar lágrimas com as suas lágrimas

até que possamos virar um só mar

de dor e vazio

e limparmos tudo de ruim

e todas as vozes que

nos dizem

você não deveria estar aqui.
Furacão ou não,

toda destruição pode ser reconstruida

e reerguida

as melhores belezas

são aquelas que sorriem para não mostrar sua tristezas

pois já sabem que de ódio o mundo vive

e na natureza você se diz o desastre

Mas quem aqui não está quebrado e destruído?

então vamos seguindo

para a trilha dos excluídos

nos reerguendo da passagem dos nossos próprios furacões.
Os furacões que habitam dentro de cada um de nós.

Por todas essas estrelas

Por todas essas estrelas

Meu coração está chorando

em um silêncio de uma esperança e paz utópicas

em que há um mundo onde se mata por uma cruz

e em que as balas que cruzam o céu não são doces.
Eu saio e me pergunto se vou voltar

tenho medo de virar estatística

e ver tantos de mim se tornarem fumaça e osso,

de uma carne que um dia, foi gente.
Pelo os meus semelhantes.

E eu não preciso acreditar no divino para desejar o meu amor.

Estou chorando

e minhas lágrimas são por sua dor

que é menor de quem ficou aqui por vocês

mas que lateja de tristeza por estrelas recém colocadas no céu,

as que mal começaram a brilhar

e já tiveram sua luz apagada

por alguém cego pela a escuridão.

 

Peço para alguém

ninguém em particular.

Só peço,

acabe com isso

e espalhe o sol em lugares que só há a lua

e esperança em corações onde apenas o ódio habita.

 

Perdoe-me, 

estou chorando hoje.
Somos todos apaixonados por música

e se minha dor tivesse melodia

seria um choro de um violino.
Um dia, “a paz vai vencer e o medo vai perder”

Um dia.

 

 

A paz vai vencer o medo vai perder” – trecho tirado da música Car Radio, da banda Twenty One Pilots

%d bloggers like this: