Vida: um comercial de margarina… ou não?

Vida: um comercial de margarina… ou não?

Dizem para termos esperança e acreditar nos nossos sonhos. E todas as novelas com finais bonitinhos, os jovens que estudam 12 horas por dia e aparecem na TV sendo chamados de heróis ou o texto motivador que muitas vezes te deu uma imagem romantizada, lhe dizendo que todo esforço terá sempre um resultado positivo. Isso tudo te ajudou a acreditar. Ou só a iludir? Afinal, a realidade é muito diferente do que lemos nos livros, vemos nos filmes e idealizamos para nós mesmos. Ela é cruel e ordinária.

Temos sonhos. Alguns querem uma TV de plasma, outros desejam formar uma família ou almejam o topo de sua carreira. Essa é a vida. Nem todo mundo tem sonhos grandes ou sonha alto, mas mesmo assim são sonhos. No entanto, as necessidades – ás vezes ou quase sempre – são maiores que um plano.  Um grande, pequeno ou médio plano. Em algumas situações vamos perceber que a imprescindibilidade de certas coisas acabam deixando a realização pessoal pra depois. E o sonho, o desejo de conquista, o fazer o que se ama, vai se esvaindo, assim como a sede de alcançar o universo.

É por isso que o faça o que você ama é como carregar um mundo. Ás vezes o que você ama não coloca comida no prato, não paga sua internet e nem metade da sua conta de celular. O que fazer quando o que você ama, na verdade parece distante de lhe oferecer uma vida instável? É essa a vida adulta. Adulto pensa nessas coisas. É isso o que é crescer. Crescer é perceber que os nossos sonhos são importantes, mas exigem muitos riscos que só valem a pena se você realmente ama o que pretende fazer.

Eles vão perguntar o que você quer ser quando crescer. Mas ei, não se iluda! Não irão lhe informar dos ônibus lotados que pegará as 5 da manhã, nem no pós-ensino médio que deixa todo mundo sem direção e muito menos dos “nãos” que você receberá. Ninguém vai te dizer, porque faz parte. Faz parte descobrir que a vida não é tão bonita assim, mas que é isso o que a fazer ser bonita. 

Ela não é um comercial de margarina, é só a vida. A vida em que pessoas desistem do que amam por necessidade, por precisar. A vida que ás vezes o seu esforço não vai ser o suficiente e você vai ter de tentar de novo – ou não. A vida em que vão querer ditar sua inteligência. A vida que tem decepções, que te machuca e te quebra. Mas é a vida.

Compartilhe!
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Tumblr
Comments are closed.